Lady Gaga irritada por pessoas que não acreditam que sua fibromialgia é real

Lady Gaga fica irritada porque os críticos não acreditam que sua batalha com a fibromialgia seja real.

O   hitmaker This Born This Way publicamente reconheceu o diagnóstico, que pode causar fadiga, dor muscular severa e problemas de memória e humor, no ano passado.

Gaga explica que sua condição é agravada por outros problemas físicos e mentais com os quais ela se debate, e ela deseja que as pessoas sejam mais compreensivas sobre seus problemas de saúde e como eles são difíceis de lidar.

“Eu fico tão irritada com pessoas que não acreditam que a fibromialgia é real”, diz ela à   revista Vogue . “Para mim, e acho que para muitos outros, é realmente um ciclone de ansiedade, depressão, TEPT (transtorno de estresse pós-traumático), trauma e transtorno do pânico – tudo isso faz com que o sistema nervoso se exceda, e então você tem dor no nervo como um resultado.”

LEIA MAIS: 
* Fibromialgia, a doença crônica mal compreendida 
* Lady Gaga revela sua vida e pensamentos no Netflix doco 
* Lady Gaga hospitalizada; postagens foto de IV no braço

“As pessoas precisam ser mais compassivas”, acrescenta ela. “A dor crônica não é brincadeira. E é todo dia acordar sem saber como você vai se sentir.

A dor crônica não é brincadeira. E é todo dia acordar sem saber como você vai se sentir ”, diz Lady Gaga.

Em 2014, a cantora revelou que ela foi estuprada quando adolescente e posteriormente explicou que desenvolveu TEPT pelo trauma. Em sua entrevista para a revista de moda, Gaga também fala sobre como a fala a ajudou a se recuperar.

“Ninguém mais sabia”, diz ela. “Foi quase como se eu tentasse apagar do meu cérebro. E quando finalmente saiu, era como um monstro grande e feio. E você tem que enfrentar o monstro para curar.

“Para mim, com meus problemas de saúde mental, metade da batalha no começo era que eu sentia que estava mentindo para o mundo porque estava sentindo muita dor, mas ninguém sabia”, acrescenta ela. “Então é por isso que eu saí e disse que eu tenho PTSD, porque eu não quero me esconder – mais do que eu já tenho que fazer.”

E ela continua a detalhar os efeitos físicos do trauma que ela ainda tem que lidar.

“Eu me sinto atordoada. Ou atrofiado ”, ela continua. “Você conhece essa sensação quando está numa montanha russa e está prestes a descer a ladeira íngreme? Esse medo e a queda no seu estômago? Meu diafragma se agarra. Então eu tenho dificuldade em respirar, e todo o meu corpo entra em um espasmo. E eu começo a chorar.

“Isso é o que parece para as vítimas de trauma todos os dias, e é … miserável. Eu sempre digo que trauma tem cérebro. E isso funciona em tudo que você faz.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *